Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
Portal Académico
Ajuda

Portal Académico

Cooperação com Países Terceiros
Portal Académico > PT > Estudantes > Programas de Mobilidade > Cooperação com Países Terceiros

 Cooperação com Países Terceiros

​​​Cooperação com Países Terceiros
Também poderá efetuar um período de estudos no estrangeiro no âmbito de Protocolos de Cooperação assinados com universidades de países terceiros, que salvaguardam a mobilidade de estudantes em termos genéricos. É importante salientar que cada caso deverá ser estudado individualmente e será sempre sujeito à aceitação por parte da universidade de acolhimento.
 
O que são Países Terceiros?
Considera-se para este efeito todos os países não elegíveis no âmbito do Programa Erasmus+.
 
É preciso visto? Quem trata disso?
Sim. Este aspeto é tratado em colaboração com o Serviço de Apoio à Internacionalização durante o seu processo de candidatura. É de salientar que a obtenção do visto de estudo poderá implicar custos variáveis dependendo do destino. 

E as Bolsas?
Infelizmente, estes Protocolos de Cooperação não preveem qualquer apoio financeiro para os estudantes que participem nos intercâmbios. 
Poderá haver projetos de cooperação e outras iniciativas que ofereçam, aos estudantes de determinadas áreas de estudo, a possibilidade de beneficiarem de apoio financeiro. Se houver bolsas disponíveis, o SAI fará oportunamente a divulgação da convocatória. 
 
Já fui estudante de intercâmbio. Posso candidatar-me novamente?
Pode efetuar um período máximo de 1 ano e meio no estrangeiro, desde que recorra a enquadramentos distintos em termos de intercâmbio (Programa Erasmus+, Programa Almeida Garrett, Protocolos de Cooperação com o Brasil, China, etc.), não podendo efetuar mais do que um ano letivo na mesma instituição. 
As suas escolhas estarão sempre sujeitas à aprovação do Coordenador Académico de Mobilidade da sua área de estudos. 

Todos os outros aspetos relativos ao processo de candidatura, pagamento de propinas, inscrição na UMinho, escolha das unidades curriculares, reconhecimento académico, Suplemento ao Diploma, avaliação, alojamento, viagem, prazo de candidaturas, obedecem, tanto quanto possível, às regras gerais do Programa Erasmus+.